Total de infectados chega nesta sexta-feira (10) a 7.268 e o de mortes sobe para 222.

Na enfermaria, taxa de ocupação chegou a 94%, a pior desde o início da pandemia na cidade.

Ribeirão Preto (SP) registrou nesta sexta-feira (10) mais 267 casos de Covid-19, chegando ao total de 7.268 moradores infectados, segundo o boletim epidemiológico.

Com oito novos óbitos, a cidade passou a ter 222 mortes.

O índice de letalidade é de 3,1%, com 31,57 óbitos a cada 100 mil habitantes.

Das seis pessoas que não resistiram às complicações causadas pelo novo coronavírus, cinco faziam parte do grupo de risco para a doença.

05/07: mulher de 53 anos.

Tinha doença cardiovascular crônica.

Estava em hospital público. 05/07: homem de 69 anos.

Tinha obesidade.

Estava em hospital público. 06/07: homem de 89 anos.

O histórico de comorbidades está sob investigação.

A morte foi registrada em casa. 08/07: homem de 76 anos.

Tinha diabetes e hipertensão arterial.

Estava em hospital público. 08/07: homem de 70 anos.

Tinha doença cardiovascular crônica.

Estava em hospital público. 09/07: homem de 46 anos.

Tinha asma.

Estava em hospital público. 09/07: homem de 76 anos.

Tinha diabetes.

Estava em hospital público. 09/07: homem de 87 anos.

Tinha doenças cardiovascular e renal crônicas.

Estava em hospital privado.

Vagas nos hospitais A enfermaria registra o pior índice de ocupação desde março, com 209 pacientes internados nos 221 leitos - 94,6%.

De junho até a primeira semana de julho, a média de vagas disponíveis era de 250 para tratamento de casos menos complexos.

Nos dias 6 e 7 de julho, o boletim divulgado pela Prefeitura apresentou 282 leitos oferecidos, mas houve uma redução e o número chegou a 218 na quinta-feira.

O G1 questionou a Secretaria de Saúde sobre a variação da disponibilidade, mas não obteve retorno.

Nesta quinta-feira, das 175 vagas de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) exclusivas para tratar Covid-19, 174 seguem ocupadas nesta sexta-feira – taxa de 99,4%. Em transmissão ao vivo pelo Facebook, o prefeito Duarte Nogueira (PSDB) disse que um convênio foi firmado entre a Secretaria Municipal de Saúde e o governo do estado para a abertura de 21 leitos de UTI durante três meses.

"Esses leitos serão seis no Hospital Santa Lydia e 15 no Hospital Ribeirania.

Nosso objetivo é não deixar nenhuma pessoa sem assistência médica e salvar o maior número possível de vidas humanas." Por causa dos indicadores considerados ruins pelo governo do estado, Ribeirão Preto e outros 25 municípios que integram a Diretoria Regional de Saúde (DRS 13) foram mantidos na fase vermelha, a mais restritiva do Plano São Paulo.

As cidades só têm autorização para o funcionamento de serviços essenciais. Initial plugin text Veja mais notícias da região no G1 Ribeirão Preto e Franca